Estresse canino – Entenda seu cão

 

Via Entendendo seu cão – Por: Tereza Falcão

Donos conscientes prestam atenção a sinais de stress em seus cães, para impedir reações prejudiciais ao animal e desagradáveis para os humanos. Se mais donos se conscientizassem desses sinais sutis, menos cães sofreriam e/ou morderiam.

O stress é a principal causa de agressão e tem impacto negativo na saúde do cão, podendo causar até envelhecimento precoce. A aprendizagem é prejudicada quando o cachorro está estressado e nessas horas ele responde mal aos comandos.Verifique se seu cão demonstra sinais de stress e faça o melhor para tornar-lhe a vida mais fácil. Abaixo, comportamentos que indicam stress, que muitos deixam passar por desconhecimento ou falta de atenção. Em cada um deles, o curso de ação imediata é identificar a causa do stress e diminuir a intensidade desse gatilho. Em muitos casos basta aumentar a distância entre cão e causa: pode ser crianças, outros cães, barulhos, ou características pessoais como gente de uniforme, homens barbados ou com chapéu, etc. Se o cão se estressa quando gritam com ele, ou com coleiras de choque ou com o barulho da televisão, páre de expô-lo a estas coisas! Para causas que não podem ser removidas, dessensibilização pode mudar a associação do cão com o que lhe causa stress, de negativa para positiva. SINAIS DE STRESS, SINAIS DE EXPRESSÃO CORPORAL para acalmar ou de submissão. Nem sempre indicam stress, pois são ferramentas de comunicação canina para manter a paz na hierarquia social, oferecidas pelo cão num posto inferior para outro que tenha um lugar mais alto no grupo social, para promover a tranquilidade do grupo e a segurança dos cães subordinados. Mas junto com outros comportamentos, podem ser indicadores de stress.

Estes sinais incluem:Virar a cabeça e/ou desviar o olhar: cães subordinados evitam contato direto com os olhos e expõem o pescoço.Se mover lentamente, cães subordinados parecem se mover em câmera lenta.Lamber os lábios: subordinados lambem os lábios dos cães com posto mais alto na hierarquia.

Sentar / Deitar / Deitar de barriga pra cima: os mais subordinados mostram submissão ao diminuir o tamanho do corpo e expor as partes vulneráveis.

Stress causa PERDA DE APETITE. Um cão que não aceita petiscos, ou só come com o dono ao lado, ou ao contrário, só come quando sozinho, pode estar com stress.

Sinais de EVITAÇÃO POR PARTE DO CÃO – ele se vira, ou fica imóvel, evita contato com o dono, evita petiscos.EXPRESSÃO ASSUSTADA: rugas na testa e em volta dos olhos do cão.PROBLEMAS DIGESTIVOS: vômitos e diarréia podem ser sinais de doença ou de stress; o sistema digestivo reage ao stress. Enjoo no carro pode ser uma reação de stress.

COMPORTAMENTOS DE SUBSTITUIÇÃO: são feitos para resolver um conflito estressante para o cão, não relacionado à hierarquia. Podem ser vistos em um cão que está estressado e isolado.

Estes comportamentos incluem:

=> RABO ENTRE AS PERNAS – indica medo, que está relacionado a stress.

=> PISCAR mais rápido que o normal.

=> LAMBER O FOCINHO repetidamente, muitas vezes.

=> RANGER OS DENTES

=> COÇAR INTENSAMENTE

=> SE SACUDIR. Se o cão está molhado, é normal. Se ele estiver seco, não.

=> BOCEJAR quando o cão não parece estar fatigado.

=> BABAR pode indicar stress, ou ser uma resposta à comida ou um machucado na boca.

=> Se LAMBER excessivamente- lambe patas, flanco, cauda e genitais, podendo chegar à automutilação.

=> HIPERATIVIDADE – comportamento desvairado, andar sem descanso, rodar sem parar, comportamentos algumas vezes mal interpretados como ignorar o dono.

=> PROBLEMAS IMUNOLÓGICOS – Stress enfraquece o sistema imunológico. Esses problemas melhoram quando o nível de stress do cão diminui.

=> FALTA DE ATENÇÃO – o cérebro tem dificuldade em processar informações quando estressado.

=> FICAR ENCOSTADO em alguém – o cão procura contato humano para se tranquilizar.

=> SE ENCOLHER, se esgueirar, agir como culpado ou afastar-se sorrateiramente podem ser indicadores de stress.

=> MORDISCAR – a boca do cão pegando nossa pele pode ser um filhote explorando, ou maus modos de um cão adulto, mas também pode ser stress, variando de uma beliscada (como se estivesse nos coçando) até mordidas mais sérias.

=> TOC – Transtornos Obsessivos Compulsivos incluem caçar moscas imaginárias, perseguir luzes e sombras, perseguir a cauda, comer objetos, mamar os flancos, automutilação, etc. Embora possam ser de origem genética, o comportamento pode ser causado pelo stress.

=> OFEGAR – respiração rápida, superficial ou pesada, sem ter acabado de se exercitar, ou estar fazendo muito calor.

=> RIGIDEZ – tensão pode causar endurecimento dos movimentos das patas, cauda e corpo.ESPREGUIÇAR – muitos cães se espreguiçam para relaxar os músculos tensos pelo stress.

=> PATAS MOLHADAS – deixa pegadas de suor no chão, mesa de exame ou tapetes.

=> TREMER – sem ser por frio!

=> CHORAR – uma vocalização aguda, irritante, indica stress. Embora alguns interpretem como excitação, um cão que está excitado a ponto de choramingar alto também está estressado.

Existe uma necessidade biológica de usar a linguagem corporal para expressar e aliviar stress. E o stress que não for consequência de uma experiência ruim do cão – stress pós traumático – está muito ligado à INSEGURANÇA do animal, que o leva ao medo, à ansiedade, e pode chegar à agressividade. Um cachorro que apresenta sinais de stress está claramente nos sinalizando que PRECISA URGENTEMENTE de mais atenção e carinho por parte do dono. Mas atenção: insegurança do próprio dono pode causar stress em seu cão, que por ser um animal de hierarquia precisa em sua vida de uma ordem natural, necessita ORIENTAÇÃO PACIENTE do tutor, e precisa sentir FIRMEZA e autoconfiança nesta orientação.

Referências: Site de Cesar Millan, blogs “Canto dos Bichos” e “Mãe de Cachorro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *