Pegue minha capa de chuva por favor!

EDITORIAL PETS – VIVER BEM – 01/06/12 – CURITIBA – PARANA – Editorial de moda para cachorros Na foto: Boris Local: Escola de fotografia Portfolio Foto: Mel Gabardo / Agencia de Noticias Gazeta do Povo

Será que nossas tendências para a antropomorfização dos cães estão tão erradas assim? Sem dúvida que sim.
Vejamos o exemplo das capas dechuva. Há alguns pressupostos muito interessantes na fabricação e compra desses minúsculos e elegantes trajes de quatro pernas para cachorros. Deixemos de lado a questão acerca dos cães preferirem uma capa amarela brilhante e resplandecente, quadriculada ou com uma estampa de gatos e cachorros (evidente que eles preferem essa). Seus donos estão muito bem intencionados quando decidem vesti-los assim: talvez tenham percebido que seus cães resistem a sair de casa nos dias de chuva. Parece razoável concluir a partir dessa observação que o cão não gosta de chuva.

Ele não gosta de chuva. O que isso significa?

Significa que ele — assim como muitos de nós — não deve gostar de sentir a chuva em seu corpo. Mas essa é uma afirmação correta? Nesse caso, o próprio cão nos dá muitos indícios claros. Ele fica animado e abana o rabo quando você pega a capade chuva? Isso parece apoiar a hipótese… Ou, ao contrário, a visão docasaco talvez signifique para ele uma caminhada muito esperada. Ele fogeda capa? Coloca o rabo entre as pernas e abaixa a cabeça? Isso minha hipótese em questão, mas não a contradiz imediatamente. Ele parece infeliz quando molhado? Sacode a água com entusiasmo? Nem confirma nem contraria. O cão está sendo um pouco obscuro.

Nesse caso, o comportamento natural dos seus parentes caninos selvagens prova ser bastante revelador a respeito do que os cães podem pensar sobre as capas de chuva. Tanto os cães quanto os lobos possuem uma capa permanentemente colada ao corpo. Uma só é suficiente: quando chove, os lobos podem buscar abrigo, mas não se cobrem com materiais naturais. Isso não indica a necessidade de protetores de chuva ou um interesse por eles. Além de ser um casaco, a capa também é algo bem diferente: uma cobertura fechada, e mesmo apertada, que cobre as costas,o peito e às vezes a cabeça. Há ocasiões em que os lobos são pressionados nas costas e na cabeça: quando são dominados por outro lobo, ou repreendidos por um lobo parente ou mais velho. Muitas vezes, os dominantes imobilizam os subordinados pelo focinho. Esse procedimento chama-se morder o focinho e talvez explique por que, às vezes, os cães com focinheiras parecem estranhamente submissos. O cão que “encurrala”outro cão é o dominante. O subordinado sente a pressão do animal dominante sobre seu corpo. É provável que a capa de chuva reproduza esse sentimento. Portanto, a sensação principal provocada pela capa não éa de se sentir protegido da umidade; ao contrário, ela produz a sensação desconfortável de que alguém em uma posição superior a sua está por perto.

A validade dessa interpretação é reforçada pelo comportamento da maioria dos cães quando são envoltos em uma capa de chuva: é possível que fiquem imóveis por se sentirem “dominados”. Pode-se observar o mesmo comportamento quando um cão, resistindo ao banho, de repente para de se agitar quando fica totalmente molhado ou é coberto por uma toalha pesada e molhada. O cão pode até cooperar para sair, mas não porque gosta da capa, e sim porque foi subjugado.* Claro que ele vai se molhar menos, mas somos nós que gostamos de planejar isso, não o cão. A melhor maneira de evitar esse tipo de equívoco é substituir nosso instinto antropomorfizante pela leitura do comportamento. Na maioria dos casos,essa troca é simples: basta perguntar ao cão o que ele quer. Tudo o quevocê precisa é saber como traduzir essa resposta.

Por: Alexandra Horowitz

Em: A cabeça do cachorro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *